« Prev Matthew 12 Next »

Chapter 12

1Naquele tempo passou Jesus pelas searas num dia de sábado; e os seus discípulos, sentindo fome, começaram a colher espigas, e a comer.    2Os fariseus, vendo isso, disseram-lhe: Eis que os teus discípulos estão fazendo o que não é lícito fazer no sábado.    3Ele, porém, lhes disse: Acaso não lestes o que fez Davi, quando teve fome, ele e seus companheiros?    4Como entrou na casa de Deus, e como eles comeram os pães da proposição, que não lhe era lícito comer, nem a seus companheiros, mas somente aos sacerdotes?    5Ou não lestes na lei que, aos sábados, os sacerdotes no templo violam o sábado, e ficam sem culpa?    6Digo-vos, porém, que aqui está o que é maior do que o templo.    7Mas, se vós soubésseis o que significa: Misericórdia quero, e não sacrifícios, não condenaríeis os inocentes.    8Porque o Filho do homem até do sábado é o Senhor.    9Partindo dali, entrou Jesus na sinagoga deles.    10E eis que estava ali um homem que tinha uma das mãos atrofiadas; e eles, para poderem acusar a Jesus, o interrogaram, dizendo: É lícito curar nos sábados?    11E ele lhes disse: Qual dentre vós será o homem que, tendo uma só ovelha, se num sábado ela cair numa cova, não há de lançar mão dela, e tirá-la?    12Ora, quanto mais vale um homem do que uma ovelha! Portanto, é lícito fazer bem nos sábados.    13Então disse àquele homem: estende a tua mão. E ele a estendeu, e lhe foi restituída sã como a outra.    14Os fariseus, porém, saindo dali, tomaram conselho contra ele, para o matarem.    15Jesus, percebendo isso, retirou-se dali. Acompanharam-no muitos; e ele curou a todos,    16e advertiu-lhes que não o dessem a conhecer;    17para que se cumprisse o que foi dito pelo profeta Isaías:    18Eis aqui o meu servo que escolhi, o meu amado em quem a minha alma se compraz; porei sobre ele o meu espírito, e ele anunciará aos gentios o juízo.    19Não contenderá, nem clamará, nem se ouvirá pelas ruas a sua voz.    20Não esmagará a cana quebrada, e não apagará o morrão que fumega, até que faça triunfar o juízo;    21e no seu nome os gentios esperarão.    22Trouxeram-lhe então um endemoninhado cego e mudo; e ele o curou, de modo que o mudo falava e via.    23E toda a multidão, maravilhada, dizia: É este, porventura, o Filho de Davi?    24Mas os fariseus, ouvindo isto, disseram: Este não expulsa os demônios senão por Belzebu, príncipe dos demônios.    25Jesus, porém, conhecendo-lhes os pensamentos, disse-lhes: Todo reino dividido contra si mesmo é devastado; e toda cidade, ou casa, dividida contra si mesma não subsistirá.    26Ora, se Satanás expulsa a Satanás, está dividido contra si mesmo; como subsistirá, pois, o seus reino?    27E, se eu expulso os demônios por Belzebu, por quem os expulsam os vossos filhos? Por isso, eles mesmos serão os vossos juízes.    28Mas, se é pelo Espírito de Deus que eu expulso os demônios, logo é chegado a vós o reino de Deus.    29Ou, como pode alguém entrar na casa do valente, e roubar-lhe os bens, se primeiro não amarrar o valente? e então lhe saquear a casa.    30Quem não é comigo é contra mim; e quem comigo não ajunta, espalha.    31Portanto vos digo: Todo pecado e blasfêmia se perdoará aos homens; mas a blasfêmia contra o Espírito não será perdoada.    32Se alguém disser alguma palavra contra o Filho do homem, isso lhe será perdoado; mas se alguém falar contra o Espírito Santo, não lhe será perdoado, nem neste mundo, nem no vindouro.    33Ou fazei a árvore boa, e o seu fruto bom; ou fazei a árvore má, e o seu fruto mau; porque pelo fruto se conhece a árvore.    34Raça de víboras! como podeis vós falar coisas boas, sendo maus? pois do que há em abundância no coração, disso fala a boca.    35O homem bom, do seu bom tesouro tira coisas boas, e o homem mau do mau tesouro tira coisas más.    36Digo-vos, pois, que de toda palavra fútil que os homens disserem, hão de dar conta no dia do juízo.    37Porque pelas tuas palavras serás justificado, e pelas tuas palavras serás condenado.    38Então alguns dos escribas e dos fariseus, tomando a palavra, disseram: Mestre, queremos ver da tua parte algum sinal.    39Mas ele lhes respondeu: Uma geração má e adúltera pede um sinal; e nenhum sinal se lhe dará, senão o do profeta Jonas;    40pois, como Jonas esteve três dias e três noites no ventre do grande peixe, assim estará o Filho do homem três dias e três noites no seio da terra.    41Os ninivitas se levantarão no juízo com esta geração, e a condenarão; porque se arrependeram com a pregação de Jonas. E eis aqui quem é maior do que Jonas.    42A rainha do sul se levantará no juízo com esta geração, e a condenará; porque veio dos confins da terra para ouvir a sabedoria de Salomão. E eis aqui quem é maior do que Salomão.    43Ora, havendo o espírito imundo saido do homem, anda por lugares áridos, buscando repouso, e não o encontra.    44Então diz: Voltarei para minha casa, donde saí. E, chegando, acha-a desocupada, varrida e adornada.    45Então vai e leva consigo outros sete espíritos piores do que ele e, entretanto, habitam ali; e o último estado desse homem vem a ser pior do que o primeiro. Assim há de acontecer também a esta geração perversa.    46Enquanto ele ainda falava às multidões, estavam do lado de fora sua mãe e seus irmãos, procurando falar-lhe.    47Disse-lhe alguém: Eis que estão ali fora tua mãe e teus irmãos, e procuram falar contigo.    48Ele, porém, respondeu ao que lhe falava: Quem é minha mãe? e quem são meus irmãos?    49E, estendendo a mão para os seus discípulos disse: Eis aqui minha mãe e meus irmãos.    50Pois qualquer que fizer a vontade de meu Pai que está nos céus, esse é meu irmão, irmã e mãe.   

« Prev Matthew 12 Next »





Advertisements



| Define | Popups: Login | Register | Prev Next | Help |